Entrevista: Eduardo de Sousa

quarta-feira, maio 20, 2015 Amanda Lessa 0 Comments



Oi Oi! A entrevista do mês é com o escritor parceiro Eduardo de Sousa, do livro "Crônicas escritas feito um pum ". Chega mais!

1- Me conta um pouco de você!

Meu nome é Eduardo de Sousa. Tenho dois filhos, a Letícia, que tem 20 anos, e o Arthur, que completará 6 anos em breve. Moro em São Paulo, capital, com o Logan (James), meu cachorro e dois gatos: o Tony (Stark) e o Bruce (Wayne). Perceberam que gosto muito de personagens de quadrinhos, principalmente os super heróis. Faço parte de uma família enorme, com 14 irmãos e meu pai mora no interior do Ceará. Sou fotógrafo desde 1992 e atuo profissionalmente há mais de 18 anos. “Crônicas (escritas) feito um pum” é meu primeiro livro publicado.

2- Como começou sua paixão por livros e pela escrita?

No tempo do ensino fundamental (na época era o primeiro grau) havia aulas na sala de leitura. Adorava ler os livros das coleções “Para gostar de ler” e “Vagalume”. Devorava os livros e desejava escrever como aqueles grandes autores. Comecei a escrever de verdade, com mais freqüência, quando criei um pefil no Orkut e em seguida no Facebook. Os textos fluíam com muita facilidade. Quando percebi eu tinha muitas crônicas, poesias, textos piegas, e deu no que deu.

3- Até que ponto você deixa suas experiências pessoais refletirem nas experiências dos personagens do seu livro?

Tudo que escrevo é reflexo de algo que vivi, que vi ou ouvi. São pequenos detalhes do dia a dia que passam despercebidos para muitas pessoas, mas acontecem o tempo todo. Muitas situações eu vivenciei, literalmente, outras eu deixo a imaginação me levar e o que acontece é o inusitado.


4- Como surgem as idéias para sua história e como construir um bom personagem dentro da história?


As ideias podem surgir a qualquer momento. Há crônicas que surgiram de pensamentos soltos quando eu estava lavando louça ou tomando banho. Muitas observando as pessoas, principalmente as que estão ao meu redor, ou mesmo observando as pessoas no metrô lotado. Muitas vezes passamos ou vimos alguém passar por alguma situação cômica ou romântica. Tudo é material para um texto.

Nas crônicas o personagem pode ser você, eu ou alguém que conhecemos. Mas um bom personagem é aquele que as pessoas se identificam, que idealizam ou que admiram. Isso não quer dizer que o personagem deve ficar preso a um padrão conhecido, muito pelo contrário, devemos deixar a imaginação livre e a criatividade tomar conta de sua personalidade, aparência e atitudes.

5- Concorda de que as histórias não refletem a vida subconsciente do escritor?


O grande mestre da fotografia Ansel Adams já dizia: “Não fazemos uma foto apenas com uma câmera; ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos, os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos.”

Quando fazemos algo naturalmente, sem perceber, é o subconsciente agindo por nós. É como dirigir: depois que aprendemos e treinamos, nem percebemos que precisamos girar o volante, trocar de marcha ou pisar no acelerador.

Eu acredito que para escrever boas histórias é muito importante estudar, ler, viajar, conversar, conhecer pessoas, ter contato com todo tipo de arte. A bagagem cultural, imaginação e criatividade, são os ingredientes para que o subconsciente do escritor o ajude a escrever boas histórias naturalmente.


eduardo sousa crônicas feito um pum,editora chiado

Com os amigos no pré-lançamento


6- Quais autores te influenciaram ? E por quê?

Leio de tudo, mas com certeza Luis Fernando Veríssimo, Mário Prata, Carlos Heitor Cony, são meus escritores favoritos e me influenciaram de alguma forma. Todos eles possuem um estilo próprio de conduzirem seus textos e trabalhar com as palavras. Admiro demais todos eles.

7-Quais as suas inspirações?

Tudo me inspira, mas as pessoas com quem convivo me inspiram mais. Até meus bichinhos de estimação são inspiração constante.

O nome do livro, por exemplo, surgiu com a crônica “Sete anos de namoro” e essa crônica foi inspirada num diálogo que tive com minha ex mulher:


"- Você continua a escrever esses textos bobos? - diz ela irritada.

- Ah, de vez em quando pinta uma inspiração e escrevo.

- Você escreve sobre qualquer coisa. Que chato! Se pensar, você escreve. Se respirar, você escreve. Se peidar, você escreve.

- É, é como um peido mesmo. De repente dá uma vontade e eu solto um. Um texto, claro."



8-Tem projetos em andamento? Quais?


Estou planejando o lançamento oficial do livro e espero conseguir um bom evento antes de julho. Em breve estará à venda nas livrarias brasileiras, hoje já é vendido em Portugal.

O trabalho é constante, escrevo todos os dias e logo mais surge um “Novas Crônicas (escritas) feito um pum). Quero também publicar um livro de pensamentos, poesias e composições. Tenho ideias para romances também. Inspiração não falta, só falta tempo mesmo.

Quero aproveitar para agradecer todos os Blogueiros e Instagramers pela receptividade, pelo apoio, parceria e carinho com livro. Vocês são fundamentais para que as pessoas tenham acesso aos novos talentos da literatura brasileira. Muito grato!



Essa entrevista foi diferente, pois tem algumas perguntas feitas pelos leitores. Se você tem alguma dúvida que faria a um escritor, deixa no comentário que vou colocar na próxima entrevista!


Como toda entrevista, foi muito bom fazer e receber essas respostas maravilhosas. Breve tem a resenha do livro (que vocês irão adorar!)
Beijos
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Deixe um comentário bem amorzinho pra gente. Iremos adorar te responder <3